• Rafael Sanson

Transformação Digital para todos - O novo mundo!



O que é transformação digital?

As pessoas confudem essa transformação com a criação de apps, sites, etc. tudo começa com a mudança da mentalidade​.​ Precisamos habilitar o progresso humano, com o fim de melhorar a humanidade. “A tecnologia tem que melhorar nossas vidas”. ​ Hoje é difícil​ viver sem os apps de navegação, sem o celular. Nos últimos anos a tecnologia vem mudando o mundo dos negócios. Muitos empresários temem a chegada de uma startup que possa afetar os seus negócios, por isso ressalto que todos precisam estar antenados neste assunto. “O empreendedor é o cara que arrisca”.

Como trazer o contato humano para o mundo online?

Muitas pessoas já pensavam em começar uma loja virtual, mas a pandemia forçou a colocar este planejamento em prática. “Precisamos nos adaptar em tempo real”. A co-criação de ideias com o cliente faz muito sentido neste​ momento. A partir deste momento vamos ter que pensar em tudo que em tínhamos planejado e como devemos mudar.

O Brasil tem uma das populações mais aderentes em relação ao digital, mas que, ao mesmo tempo, precisamos multiplicar isto nas populações mais carentes. Desta forma precisa promover o crescimento de pessoas. “Não adianta ficar fazendo as mesmas coisas que nós fazíamos, porque o mundo mudou. Precisamos repensar nosso status​ ​ ​quo.​

Qual é a importância de trazer novas ideias em relação à diversidade neste momento?

Tendo diversidade de pensamento na sua empresa, o lucro da sua empresa irá acelerar. A internet é um direito humano e, atualmente, ela está sendo um ambiente de cobrança pública. A diversidade melhora o rentabilidade das empresas, porque você cria diversidade de clientes o que aumenta vendas e lucros. “Uma empresa só vai crescer e prosperar, se tiver um time diverso de ideias, pessoas que te desafiam.”

Se você trabalhando sozinho, não quer dizer que você não terá uma gama diversa de clientes. “É necessário criar uma comunidade, um ecossistema”.

Quais são as habilidades que eu preciso para o meu negócio?

“É preciso de habilidades complementares e criação de redes fortes”. Não tem problema em​ recorrer às pessoas que já sabem o que fazer esse é um valor que está sendo resgatado. A pandemia está ampliando nossas formas de relacionamento, o que aumenta a nossa empatia com os pequenos empreendedores. “Use a informação para atingir melhor o seu cliente”.​

Será que conseguiremos atingir a terceira idade neste momento?

É incrível esta possibilidade de poder fazer múltiplas funções enquanto falamos por vídeo. O WhatsApp como uma ferramenta que já está inserida na terceira idade, e que a pandemia aumentou estas novas conexões. “É uma troca, porque as pessoas passam por realidades diferentes”. Esta troca​ facilita atalhos dentro dessas organizações.

Feira livre online?

O marketplace e o Instagram são ótimas ferramentas para venda. O WhatsApp Business tem funções que visam a venda do seu produto para o seu consumidor. “O cliente quer maior facilidade”.

Como manter os funcionários de pequenos negócios?

Este período não está sendo fácil, o impacto nas vendas está muito grande precisa haver uma melhor comunicação entre supervisor e funcionário é importante ter políticas públicas de não demissão de funcionários já existem ideias na mesa e é necessário pensar e ver o que é melhor para seu negócio. Precisamos enxergar este cenário como testes para ver como o seu negócio se manterá nos próximos anos a importância de conversar com especialistas neste momento, como, por exemplo, psicólogos e terapeutas. “Precisamos manter as pessoas vivas mentalmente”.


“Não adianta comprar ferramentas baratas e não conseguir fazer um trabalho bem feito”.

Aproveitar o momento para focar no "arroz com feijão", deixando o seu produto mais básico o mais perfeito possível, direcionando sua energia para este fim.

A primeira atitude foi cuidar das pessoas. Colocar todos em home office. Depois, veio a hora de olhar para o caixa, pois ​"esse é o momento em que você deve cuidar da preservação da empresa"​, tirando gastos não essenciais em primeiro lugar, e revendo os demais gastos para reduzi-los ao máximo. A ideia é ter um plano para os próximos 12 meses. "O grande engano na hora de planejar o caixa é que todo mundo olha só para as despesas, mas é preciso também olhar para o lado das receitas"​. Feito isso, veio a hora de "partir para o ataque", pois o​ força as pessoas a mudarem seus hábitos de consumo. ​"O mundo que encontraremos depois da crise será muito diferente"​ e isso significa que​ "se a nossa decisão for entrar na caverna e esperar o inverno passar, quando a crise acabar provavelmente vamos cair na armadilha do darwinismo não nos adaptamos ao novo cenário e vamos morrer"​.

Como as empresas lidaram com a mudança para o home office

O segredo é focar no resultado, em vez de focar nas tarefas. Acompanhar o andamento das ​ ​ do dia a dia do funcionário é importante, mas mais importante ainda é dar resultados. Não é preciso ficar monitorando o que o funcionário faz o tempo todo, desde que ele entregue o que precisa de acordo com os prazos e com qualidade. ​"Isso detona o principal aspecto de uma liderança, que é a confiança entre líder e liderado"​.

"Não se controla o que o funcionário faz no home office, se controla a entrega"​.

"E você não tem confiança de que seu funcionário não vai te sacanear, seu problema não está no controle, está no H, na seleção dessa pessoa, ou então na sua liderança".

Assim, a equipe ainda se sente valorizada, ainda por cima crescendo, enquanto isso. "Vamos usar bem esse tempo, vamos usá-lo para ganhar novas skills"​.

Como tirar ideias do papel e colocá-las em prática

​"Ideia não vale nada, o que vale é a execução"​. ​"uma ideia mediana, mas muito bem executada, vai dar certo uma ideia inovadora e genial, mas mal executada, não vai dar em nada"​. E é possível executar uma ideia mesmo sem muito investimento — aí é hora de colocar a cabeça para funcionar a fim de encontrar meios de fazer isso acontecer.

"na hora de colocar uma ideia em execução, o mais difícil de se fazer é a priorização, pensar no que é mais importante de se fazer primeiro"​. Então, é preciso saber priorizar as coisas na ordem que elas precisam ser feitas, e não necessariamente na ordem que você gostaria de seguir. ​"quando você tem várias ideias muito boas, saber falar não pode doer, mas o poder da realização está no não, e não no sim"​.

A ideia do M​VP​. A sigla significa ​Produto Mínimo Viável​ (Minimum Viable Product), que fala da versão simplificada de um produto final. A partir dessa versão, o empreendedor oferece o mínimo de funcionalidades com o objetivo de testar a aceitação e encaixe do produto no mercado. É uma prática muito usada na fase inicial dos negócios, e permite que os empreendedores validem sua ideia antes de desenvolver o produto final. Ou seja: permite descobrir se aquele produto, de fato, resolve um problema do consumidor. O lance é perguntar-se qual o problema que o produto deve resolver, para então testá-lo no mercado e, depois, aperfeiçoar.

É essencial estar disposto a ​"passar pela parte difícil"​ das coisas. "Não tenha problema em repetir mil vezes a mesma coisa"​, com outras abordagens, de acordo com os aprendizados adquiridos a cada tentativa.

​ A chave é o equilíbrio​. Antes, o extremo do presencial. Agora, o extremo do home office. Depois, é hora de encontrar o ponto de equilíbrio entre as duas coisas. ​"Nada mais será como antes, mas também não se deve ir para o outro extremo"​.


O mercado precisa entender para onde o dinheiro está indo​. Caem alguns serviços que dependiam das pessoas nas ruas para prosperar, mas crescem outros, de acordo com as novas necessidades da população.

0 visualização

© 2020 Orgulhosamente feito por Atitude Empreendedora.

Av. Dois Córregos, 1513 CNPJ 24.663.659/0001-96

Contato: +55 19 98987-9559